DE CÁ E DELÁ

Daqui e dali, dos lugares por onde andei ou por onde gostaria de ter andado, dos mares que naveguei, dos versos que fiz, dos amigos que tive, das terras que amei, dos livros que escrevi.
Por onde me perdi, aonde me encontrei... Hei-de falar muito do que me agrada e pouco do que me desgosta.
O meu trabalho, que fui eu quase todo, ficará de fora deste projecto.
Vou tentar colar umas páginas às outras. Serão precárias, como a vida, e nunca hão-de ser livro. Não é esse o destino de tudo o que se escreve.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012


                                     GUILIN II


      Iluminar grutas com luzes coloridas pareceu-me, à primeira vista uma ideia pouco agradável. Muita gente não concordará com ela e haverá quem se gaste a imaginar os estragos que o processo de instalação elétrica implica.


        O efeito, no entanto, é espetacular. Visitei as grutas de Aracena e de Santo António, na Serra de Aires. Estas (Reed Flute Cave) deixam seguramente uma impressão mais marcada e duradoura.


     A nossa guia em Guilin falava razoavelmente o inglês, mas ficaram barreiras por transpor. As informações que recolhi da Internet davam conta de uma série de túmulos antigos, pois Guilin foi também residência imperial. O que se pretende dizer nem sempre é ouvido como a gente quer. Em vez de “ancient tomb”, a guia levou-nos para uma “ancient town” . Ainda não sei se ficámos a perder ou a ganhar.

              A rua principal da aldeia turística


    O nosso anfitrião, preparado para o sol e para a chuva


         Vi mós semelhantes a esta no Algarve. Vieram de lá para cá, viajaram de cá para lá, ou foram inventadas de forma independente?


        A oficina dele está mais bem arrumada do que a minha.


     Um berbequim de antigamente. Fez-me lembrar trepanações…



                                                A cozinha



                     Dois em um:  travesseira - mealheiro.


     O mundo é pequeno. Tirei, há cerca de dois anos, uma fotografia semelhante a esta em Constança.



       Secam chouriços a bordo. Fiquei com vontade de os provar.



     Flores de chá. Terão aplicações medicamentosas.



  Leva-se o menino a passear no prado, à beira-rio


      Quando for grande, quero ter uma carrinha destas.


  No caminho do aeroporto, na manhã da despedida, lá ficam as montanhas de Guilin a vigiar a cidade através da neblina do outono.





Sem comentários:

Enviar um comentário